quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Gradual agora vende seguros. Qual será o próximo passo? Vender Herbalife?



Hoje recebi um email que não sei se é sério ou se é pra rir. De qualquer forma, vou divulgar aos amigos do blog.

A "excelente" corretora Gradual agora está oferecendo seguros aos seus clientes.

Devem estar mesmo precisando de dinheiro, pois só uma necessidade muito grande, tipo vida ou morte, pra justificar aquele ato altamente questionável do ponto de vista da ética (viu como eu também sei usar eufemismos? rsrs), onde desrespeitaram tantos e tantos clientes que transferiram suas custódias na BOA FÉ para esta corretorazinha que cobrava 10,00 reais de custódia por mês com corretagem livre e passou a cobrar sem mais nem menos 10 reais de cada corretagem.

Com a agravante da mudança ter sido feita "na calada da noite", informada por um email "ambíguo" e incompleto (pra não dizer mentiroso), sem dar tempo sequer dos clientes inconformados liquidarem suas posições com calma ou mesmo transferir a custódia para outra corretora.

Agora querem vender seguros?

Me desculpem, "amigos" da Gradual, mas pra vender seguros, mesmo como preposto, há que se ter uma característica moral, qual seja: CREDIBILIDADE, CONFIABILIDADE.

Portanto, não me venham mais oferecer seguros.

PS: Já pensaram em Herbalife?
Ou podem pegar a idéia daqueles indefectíveis bottons que o pessoal deles usa:

"Perca dinheiro agora! Pergunte-me como!"

7 comentários:

Paula Pequeno disse...

é tiro para todo lado grande chapuleta. ouvi dizer que tão vendendo jazigos em 12 vezes.

o fundo do ME, aquele que quebrou pela 2 vez ta indo pra gradual.

é dose.

Economia sob uma visão crítica. disse...

mas a campeã de enxer o cliente com produtos lixos é a XP. Uma vez, enquanto era cliente, cliquei num link na sala de chat e automaticamente fui cobrado acho que 60 reais por um tal de "webinar". Na mesma hora que soube disso, não quis nem reclamar, tamanho o nojo. Transferi meu dinheiro todo para minha conta da banif.

Economia sob uma visão crítica. disse...

Banif, aliás, que nunca decepcionou.. tudo é estável. Vale a pena pagar corretagem a mais.

Fernanda de Lima disse...

Caro Sr Anônimo,

Aparentemente o senhor tem se concentrado tanto nos lançamentos da Gradual, que não teve tempo para acompanhar as tendências de distribuição de produto que vem ocorrendo no mundo todo, inclusive no Brasil. Desde o final da década de 80, que os grandes varejistas norte-americanos e europeus têm a distribuição de produtos financeiros como uma parte substancial de suas receitas.

No Brasil, por exemplo, a Livraria Saraiva acaba de anunciar que vai distribuir produtos financeiros! Não se surpreenda de ver empresas como Avon, Natura e outras adotando a mesma decisão. Frente a esta realidade, a distribuição de seguros por parte da Gradual não deveria ser vista pelo senhor como algo surpreendente. Mas, como resultado natural do desenvolvimento da nossa área de distribuição. Em breve vamos sim agregar outros produtos a esta lista. Mas, certamente o HerbaLife não fará parte desta lista. Isso não reflete um julgamento do produto, mas sim o fato de que o nosso foco é a área de investimentos.

Atenciosamente,
Fernanda de Lima – presidente da Gradual

Hermenegildo Chapuleta disse...

Hehe

Para quem não entendeu, a indignação e a reclamação não é quanto à corretagem. Acho que assim como os clientes tem direito de procurar o melhor custo-benefício, as empresas tem todo o direito de decidir quanto vão cobrar pelos seus serviços.
A minha indignação decorre da forma como foi feito, só isso.
Achei uma descortesia, uma falta de ética e, em português mais claro, uma tremenda sacanagem.

Mas passou. Não quero mais contato com esta corretora e já adaptei minhas estratégias aos novos custos em outra corretora.

Mas é meu dever, já que temos tantos seguidores e eu divulguei anteriormente o plano Direct neste canal, alerta-los para o ocorrido.

Vamos em frente.

Abraços a todos.

Hermenegildo Chapuleta disse...

E viva o Estado Democrático de Direito. E viva a internet. A empresa faz com o cliente o que quer, ouve do cliente o que não quer.

Anônimo disse...

Que absurdo querido amigo Chapu. Você está muito certo em divulgar este tipo de abuso.

Se ninguem reclamar, especialmente de forma pública, esse tipo de empresas perpetuaram tais abusos. Parabéns!

Beijos, Maria