quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Só alegrias: Rompeu

Ibov diário

Notícias boas lá fora. A reação veio forte. É a volatilidade: cai forte, mas sobe forte. Tudo normal. Ou alguém achou que a bolsa só cai?

Vamos aproveitar então que a alegria começou(?) e curtir um final de semana prolongado viajando?
Até semana que vem.

(A propósito, como nada cai direto, nem sobe direto, essa alta me animou a fazer alguns lançamentos de opção bem fora do dinheiro, para remuneração de carteira)

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Fibria: fraco resultado faz analistas ressaltarem pouca atratividade das ações

Por: Equipe InfoMoney.com.br
SÃO PAULO - O resultado da Fibria (FIBR3) divulgado nesta quarta-feira (26) chamou a atenção para a pouca atratividade das ações da companhia - ao menos no curto prazo, lembram analistas. O foco das análises esteve no forte prejuízo de R$ 1,114 bilhão que foi resultado não apenas do efeito contábil da desvalorização do real frente ao dólar na sua dívida líquida, como também da piora operacional, ressaltam Leonardo Zanfelício, da Concórdia e Leonardo Alves, da Link Investimentos.
"As perspectivas não são tão animadoras para a companhia em nossa opinião, pois o seu principal mercado, Europa, está passando por um momento muito difícil", afirma Zanfelício. Isso, juntamente com a desaceleração da economia chinesa, deverá fazer com que o preço da celulose continue em queda no mercado internacional, o que prejudica o desempenho da companhia.
"Para o quarto trimestre, os preços continuam em queda forte", lembra Alves. Contudo, a desvalorização do real frente ao dólar deverá colaborar para que a empresa sofra menos com essa notícia. "O dólar médio do período será maior, o que poderá compensar o movimento de queda", destaca.
Boas notícias ofuscadas por endividamento
Essa não é a única boa notícia do balança, chama a atenção Alves. "A empresa registrou um Ebitda (geração operacional de caixa) acima das nossas expectivas, principalmente devido a melhoras operacionais, nos custos e nas despesas de vendas", afirma. A manutenção dos volumes também é lembrada positivamente pelo analista, já que isso passa segurança, mesmo em momentos de crise. 
Embora esse fatores devam ser recorrentes, eles são diminuídos por conta do avanço do endividamento. "Por conta do impacto do dólar no balanço, a dívida líquida da empresa alcançou R$ 9,5 bilhões. Com isso, o endividamento líquido sobre o Ebtida subiu de 3,2 vezes para 4,2", destaca Alves. Isso deverá fazer o mercado ficar cauteloso a respeito da companhia, trazendo risco aos papéis da Fibria. Esse risco também é lembrado por Zanfelicio, que não recomenda as ações para o curto prazo. 

Fibria – Divulgação do resultado do 3T11


ü 
Conclusão da venda da Unidade Piracicaba por US$ 313 milhões.
ü  Dívida líquida de R$ 9.542 milhões, 20% superior ao 2T11 e 6% menor em relação ao 3T10, devido à valorização do dólar de 19% frente ao Real no 3T11.
ü  Redução do endividamento de curto prazo para 9% (2T11: 14% e 3T10: 19%) após pagamento da última parcela aos ex-acionistas da Aracruz.
ü  Saldo de caixa representou 1,7x a dívida de curto prazo no 3T11.
ü  Resultado líquido base caixa (que exclui efeitos de variação cambial, depreciação, entre outros) de R$ 0,9 por ação, 6% inferior ao 2T11 e 37% em relação ao 3T10.
ü  Redução de R$ 201 milhões no investimento de capital aprovado para 2011, para R$ 1.440 milhões.
ü  Paradas programadas para manutenção nas Unidades Jacareí e Três Lagoas concluídas com sucesso.
ü  Produção de celulose de 1,3 milhão t, 2% superior ao 2T11.
ü  Venda de celulose de 1,2 milhão t, estável em relação ao 2T11 e 7% superior se comparada ao 3T10.
ü  Custo caixa de produção de celulose de R$ 481/t. Excluindo o efeito das paradas ficou em R$ 446/t, aumento de 2,5% em relação ao 3T10, abaixo da inflação registrada no período (7,3%).
ü  EBITDA de R$ 476 milhões, redução de 3% e 34% em relação ao 2T11 e 3T10 respectivamente.
ü  Prejuízo de R$ 1.114 milhões, devido ao efeito da valorização do dólar no resultado financeiro, efeito este majoritariamente contábil.




Ø  “A crise na Europa e nos Estados Unidos no terceiro trimestre impactou a demanda global por commodities e contribuiu para a redução do preço da celulose. As incertezas quanto à economia causaram a valorização do dólar frente ao Real, observada principalmente no mês de setembro. Este efeito impactou na elevação da alavancagem da Fibria, já que 92% da dívida encontrava-se em moeda estrangeira no 3T11. Por outro lado, por ser uma Companhia exportadora (mais de 90% das vendas destinadas ao mercado externo), o dólar valorizado trará efeitos positivos no resultado operacional.

Em maio de 2011, a Fibria aprovou a Política de Gestão de Endividamento e Liquidez que estabelece uma disciplina financeira em qualquer contexto de mercado. Fatores exógenos, como os citados anteriormente, impactaram a alavancagem da Companhia, superando o limite de 3,5x Dívida Líquida / EBITDA, sem que isso representasse quebra de covenants contratuais.”

Ø  O resultado financeiro líquido foi negativo devido principalmente à valorização do dólar em relação ao Real no 3T11, efeito majoritariamente contábil (ou seja, sem efeito caixa), quando da conversão do endividamento em moeda estrangeira para reais ao final de setembro. As operações de hedge contabilizadas totalizaram um resultado financeiro negativo de R$ 558 milhões, dos quais R$ 541 milhões representaram a variação contábil entre o resultado do 3T11 e do 2T11, ou seja, R$ 17 milhões de efeito caixa no período.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

CEMIG caindo forte: -4%

(25/10) CEMIG (CMIG-N1)  - Comunicado 
DRI: Luiz Fernando Rolla  


A COMPANHIA ENERGETICA DE MINAS GERAIS - CEMIG, empresa de capital aberto, com acoes negociadas nas Bolsas de Valores de Sao Paulo, Nova Iorque e Madri, em 
cumprimento ao disposto na Instrucao CVM n  358/02, conforme alterada, e em 
atendimento ao compromisso de implementar as melhores praticas de Governanca 
Corporativa, vem a publico informar aos seus acionistas em particular e ao 
mercado em geral que no dia 21 de Outubro apresentou uma proposta nao vinculante 
para aquisicao da posicao de 21,35% do capital social total da empresa Energias de Portugal S.A. (EDP), detida pela Parpublica - Participacoes Publicas (SGPS), 
S.A. 

Esta proposta nao vinculante se insere na estrategia de desenvolvimento 
delineada pelo Plano Diretor da Cemig, que busca um crescimento equilibrado, nos 
segmentos de geracao, transmissao e distribuicao de energia eletrica, tanto por 
via organica atraves de novos projetos quanto por via de fusoes e aquisicoes. A 
EDP opera ativos estrategicamente muito relevantes razao pela qual uma parceria 
com a Cemig pode vir a ser de interesse mutuo para ambas as empresas. 

O principal compromisso do Plano Diretor e o crescimento sustentavel, visando 
assegurar a  gregacao de valor para os acionistas no longo prazo. Este principio 
sempre foi assegurado mediante uma forte disciplina financeira, que busca 
preservar a solidez economico financeira da Cemig, sem afetar os seus 
indicadores nem a sua capacidade de pagamento e de distribuicao de dividendos. 

A Cemig reitera seu compromisso de buscar oportunidades de investimento que 
atendam aos requisitos de rentabilidade estabelecidos por seus acionistas e de 
divulgar toda e qualquer informacao relevante, quando efetivada. 

Belo Horizonte, 24 de outubro de 2011

Mercado em baixa? tristeza de uns, alegrias de outros


Mercado em baixa, você anda perdendo dinheiro e falhando no amor? Seus pobremas acabaram!!!

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Datas de divulgação 3T11

Jbs: Deve ter gente aí passando um calor...


O papel nos 3,50 e tinha analista indicando venda alugada.
De lá pra cá o papel já subiu mais de 35% em poucos dias.

BBAS3, PETR4, VALE5, POMO4, ETER3 e CPLE6

Diego disse...
Chapuleta, por favor gostaria da sua opinião sobre alguns papeis. Tive a sorte de zerar minha carteira acima dos 60 mil pontos porque achava que a crise seria mais aguda, estilo 2008, mas parece que a velocidade da queda diminuiu e não queria estar sem minha carteira em caso de virada da tendência. Os papéis que eu tinha era BBAS3, PETR4, VALE5, POMO4, ETER3 e CPLE6. Tinha outras porcarias na carteira também, mas não me interessa me reposicionar de novo nelas. Acha que está na hora de recomprar? Obrigado e parabens pelo trabalho no blog.



23 de outubro de 2011 13:11


Diego, inicialmente queria te dizer que gosto de todos ativos que vc citou. Se a sua estratégia fosse COMPRAS MENSAIS PARA UMA CARTEIRA DE LONGO PRAZO, eu diria que na minha opinião vc poderia aproveitar a queda deste ano para ir comprando estes papéis sem medo.

No entanto, me parece que o seu negócio é Market Timing. Isso é dificílimo acertar. Não depende muito de fundamentos e sim de fluxo. Portanto, considerando que uns 30% do mercado opera baseado em gráficos, vamos deixar os fundamentos de lado e vejamos os gráficos MENSAIS destes ativos.


 BBAS3 Mensal

Considerando o fundo de 2008 ao último topo e considerando os números de Fibonacci para "tentar" identificar os potenciais de correção, vemos que o papel corrigiu apenas até a 1ª retração. No auge da crise o fundo do papel foi a 8,88. Portanto, em caso de quebradeira, de correria, de recrudescimento da crise, o papel pode chegar lá facilmente. Se vc resolver comprar tudo de BBAS3 agora, vc ainda pode assistir uma perda de mais de 60% do seu capital.

Não se esqueça: o papel caiu bem desde os 32,79, mas pra quem vem comprando o papel há 10 anos (dizem que bolsa é longo prazo, né) ainda é só alegria. De 2002 pra cá o papel continua com uma alta de mais de 2000% (não que isso vá se repetir, o que quero dizer que tem gente ainda no lucro e pode querer realizar).

RESUMINDO: Pode ser a hora de comprar? Pode. Ninguém sabe! Mas que há muito espaço pra cair, não resta dúvidas.
Vou postar os outros gráficos. Basta raciocinar de maneira análoga ao apresentado acima. Depois disso, você pode decidir se é hora de pegar todo seu capital pra montar posição.


 PETR4 Mensal


 VALE5 Diário


 POMO4 Mensal


 ETER3 Mensal


CPLE6 Mensal

Qualquer dúvida, é só postar que mais tarde eu tento responder ou complementar alguma explicação.
Abraços

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Fechamento da semana: alta de 0,41% no Ibov

Ibov semanal

A despeito da volatilidade no gráfico diário, que um dia sobe no outro cai, no gráfico semanal o Ibov teve mais uma semana de fechamento positivo, ainda que de apenas 0,41%.

A média de 10 períodos exponencial já se encontra ascendente, mas as médias de 21 e 200continuam acima das linhas de preços, constituindo-se, portanto, em resistências a serem superadas, bem como  a faixa dos 58,6k pontos, que é o último topo no semanal.

Suportes na faixa de 51k e 47,6k pontos.



Abçs e bom fim de semana a todos.

Carta aberta à Sra. Fernanda de Lima - sócia e Presidente da Corretora Gradual




  "Fernanda de Lima disse...




Caro Sr. Anônimo,

Meu nome é Fernanda de Lima e sou sócia e Presidente da Gradual, e como tal me sinto obrigada a esclarecer algumas das informações equivocadas que você veiculou neste “blog”. A 1ª delas diz respeito ao fato de que não é possível deixar o plano Direct. Isso não é verdade, a adesão ao Premium é compulsória para quem quiser continuar operando conosco. Quem não quiser, tem seu plano automaticamente cancelado.

Outra informação que não foi mencionada e merece destaque, porque foi isso que motivou a cobrança. A nova plataforma permite alavancagem intraday. Nenhuma corretora oferece esta ferramenta gratuitamente! Apesar disso, em respeito ao cliente que aderiu ao Gradual Direct mantivemos a isenção de corretagem até a 5ª ordem.
E para isso nos baseamos na análise do perfil dos clientes do Gradual Direct: apenas 1% dos usuários colocam mais do que 3 ordens.

Em resumo, para a maioria absoluta, nada mudou em termos de custos. Mas, a plataforma disponível é mais completa e dá acesso a ferramenta de alavancagem sem custo!

Atenciosamente
Por isso, gostaria de muito educadamente rebater algumas informações, postando em seguida o "print screen" das provas, pois talvez seus funcionários não estejam a informando com exatidão. Vamos por tópicos:


1 . "A 1ª delas diz respeito ao fato de que não é possível deixar o plano Direct. Isso não é verdade, a adesão ao Premium é compulsória para quem quiser continuar operando conosco. Quem não quiser, tem seu plano automaticamente cancelado."




a => Esta sua informação seria verdade se a transição tivesse sido informada com antecedência, através de um email claro. Aliás, se fosse eu sócio de qualquer empresa jamais permitiria que alguém da minha equipe elaborasse um comunicado tão leviano aos meus clientes. Isso, na minha opinião, foi de uma falta de ética tremenda e até de desrespeito à inteligência dos clientes (sejam eles 1% ou 100%). 


b => Qualquer OTA (Ordem de transferência de ações) demora ao menos uns 7 dias, que é o tempo para reconhecer firma e enviar para a corretora pelos correios. Portanto, qualquer cliente que não zerasse suas posições a toque de caixa, no pregão de sexta-feira, passaria para o plano "Premium".


c=> Para encerrar este tópico, não foi eu que disse que o cliente era obrigado a aderir ao plano "Premim" e sim seu funcionário Gilmar. Eu liguei para o atendimento e ele me disse claramente que o plano "premium" não era uma opção ao "direct" e sim uma substituição. Argumentei que eu não queria, que precisava de um tempo para zerar minhas posições e sair da corretora e ele me falou as ordens a partir de 2ª-feria já seriam pelo plano "premium".




PS: A coisa foi feita tão às pressas que a equipe de tecnologia sequer teve tempo de programar o sistema para só cobrar as corretagens a partir da 6ª ordem no mês. Daí tanta reclamação de clientes e o sobrecarregamento do sistema de atendimento da corretora para tentar resolver os inúmeros contatos, ligações e pedidos para devolução de corretagem.




2. "Outra informação que não foi mencionada e merece destaque, porque foi isso que motivou a cobrança. A nova plataforma permite alavancagem intraday. Nenhuma corretora oferece esta ferramenta gratuitamente! "


=> Nesta informação a senhora está correta. Realmente não mencionei a situação da alavancagem simplesmente porque não pedi por isso e não me interessa este serviço da Gradual. Outras corretoras que opero oferecem alavancagem com ordem muito mais barata, com home broker muito mais estável e com atendimento muito melhor.  






3. "Apesar disso, em respeito ao cliente que aderiu ao Gradual Direct mantivemos a isenção de corretagem até a 5ª ordem."


Não me leve a mal, mas se há uma coisa que eu nunca vi na Gradual é respeito.
Eu era cliente da Mirae onde pagava 29,00 e operava sem limites. Quando a Gradual lançou o "Direct" a 10,00 eu me mudei. Agora, nem tico nem taco. Como eu cancelei o plano na Mirae confiando na Gradual, agora eu não tenho mais este plano sem corretagens. E a senhora ainda tem a coragem de falar em respeito?






4." E para isso nos baseamos na análise do perfil dos clientes do Gradual Direct: apenas 1% dos usuários colocam mais do que 3 ordens. 

Em resumo, para a maioria absoluta, nada mudou em termos de custos. Mas, a plataforma disponível é mais completa e dá acesso a ferramenta de alavancagem sem custo! "


Essa conta não está batendo. Se apenas 1% dos clientes colocam mais de 3 ordens, temos que:
    a. 99% que colocam menos de 3 ordens
                  - pagavam 10,00/mês e passarão a pagar ZERO.

    b. 1% que colocam mais de 3 ordens: estes com certeza não estavam na Gradual pela qualidade e pelo atendimento. Portanto, a tendência é operarem na TOV, na MyCap, entre outras, pela metade do preço.
                  - pagavam 10,00/mês e agora vão sair da Gradual e vão pagar ZERO.
  

Para a Gradual antes: 10,00 por cliente x N clientes = 10N reais por mês.
Agora: ZERO + ZERO = ZERO. 
Era melhor ter deixado como estava.

De qualquer forma, agradeço mais uma vez a atenção dispensada e tentativa de explicar o inexplicável a este humilde blog, que como disse, tem a única intenção de informar o pequeno investidor pessoa física com a verdade.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Fechamento do mercado

Ibov diario

O Ibov termina o dia com queda de 2%. O Dow Jones fechou positvo, com alta de 0,36%.

Gradual agora vende seguros. Qual será o próximo passo? Vender Herbalife?



Hoje recebi um email que não sei se é sério ou se é pra rir. De qualquer forma, vou divulgar aos amigos do blog.

A "excelente" corretora Gradual agora está oferecendo seguros aos seus clientes.

Devem estar mesmo precisando de dinheiro, pois só uma necessidade muito grande, tipo vida ou morte, pra justificar aquele ato altamente questionável do ponto de vista da ética (viu como eu também sei usar eufemismos? rsrs), onde desrespeitaram tantos e tantos clientes que transferiram suas custódias na BOA FÉ para esta corretorazinha que cobrava 10,00 reais de custódia por mês com corretagem livre e passou a cobrar sem mais nem menos 10 reais de cada corretagem.

Com a agravante da mudança ter sido feita "na calada da noite", informada por um email "ambíguo" e incompleto (pra não dizer mentiroso), sem dar tempo sequer dos clientes inconformados liquidarem suas posições com calma ou mesmo transferir a custódia para outra corretora.

Agora querem vender seguros?

Me desculpem, "amigos" da Gradual, mas pra vender seguros, mesmo como preposto, há que se ter uma característica moral, qual seja: CREDIBILIDADE, CONFIABILIDADE.

Portanto, não me venham mais oferecer seguros.

PS: Já pensaram em Herbalife?
Ou podem pegar a idéia daqueles indefectíveis bottons que o pessoal deles usa:

"Perca dinheiro agora! Pergunte-me como!"

LAEP (MILK) - ESCLARECIMENTOS SOBRE NOTICIA VEICULADA NA IMPRENSA:

 Para aqueles que acompanham o papel MILK11: 

  Em vista do conteúdo errôneo da matéria publicada pela EXAME.com, divulgada no site da EXAME na data de ontem (18.10.2011), sob o titulo "Laep tem maior queda em dez semanas com plano de vender ações", que tem gerado inúmeros questionamentos por parte de acionistas e terceiros interessados, a LAEP gostaria de esclarecer o quanto segue:
1.       Alega-se, entre outras inconsistências, que a Laep seria um fundo e que iria levantar capital com a emissão de 150 milhões de novas ações Classe A por R$0,35 cada. 
Nenhuma das duas afirmações é verdadeira. A Companhia jamais aprovou ou afirmou que emitiria 150 milhões de ações pelo valor referido na publicação. 
2.       A Laep é uma  sociedade anônima. Assim sendo, algumas de suas decisões societárias são tomadas pelos acionistas reunidos em Assembléia Geral.  
Em Assembléia Geral Extraordinária, realizada no dia 17.10.11, restou aprovada o aumento do capital autorizado em ate 150 milhões de Ações.
 As emissões de novas ações devem ser realizadas ACIMA do valor mínimo indicado no Estatuto Social, nesta data de U$0.20.
3.       Alem disso, no dia 18.10.2011, a Companhia informou o mercado através de Fato Relevante a assinatura de um importante contrato com subsidiaria do fundo norte-americano Yorkville, Stanby Equity Distribution Agreement - SEDA, que prevê a abertura de uma linha de capital de ate U$ 50 milhões.
4.       Não ha correlação direta entre o aumento do capital autorizado e a assinatura do SEDA.  De toda forma, NAO HA decisão de emissão de 150 milhões de Ações por R$0,35 centavos. 

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Fechamento do mercado

 Ibov diario





O Ibovespa teve mais um dia volátil, terminando o dia com uma pequena queda de -0,12% a 54.966 pontos.
=> expectativa pelo anúncio do Copom acerca da meta da taxa Selic 
=> em instantes  sairá o anúncio oficial. 
=> a taxa está em 12,00% ao ano. 
=>destaque positivo para as ações dos setores de construção civil e de varejo, os mais sensíveis aos juros. 
=> destaque negativo p/ as ações de mineradoras e siderúrgicas.           

terça-feira, 18 de outubro de 2011

USIM3/USIM5 nunca esteve tão discrepante

USIM3/USIM5 Semanal

Como se pode ver no gráfico acima, a USIM5 sempre foi mais cara que USIM3, principalmente até 2006. De 2006 ao início de 2011, os ativos oscilaram pouco entre si, mantendo uma relação média próxima a 1. Porém, em 2011 a USIM3 explodiu e a USIM5 mergulhou. Daí a relação entre elas estar 2 para 1 atualmente.

Que ensinamentos tirar disso?
Pra refletir.

Fechamento eufórico

Ibov diário

O início do pregão prometia mais derramamento de sangue, mas os compradores se animaram no decorrer do dia e o Ibov fechou com alta superior a 2%.


Destaques do dia: dos principais papéis que acompanho, TMAR5 , TNLP3 e OGXP3 se destacaram positivamente. Na ponta negativa, USIM3 e Dolar Futuro foram os destaques.

TNLP4 Diario

Papel formou duas barras de força bonitas ontem e hoje, mas a queda no ano é grande. Se por um lado os investidores do papel ficam desanimados, por outro quem está fora pode estar de frente com uma ótima oportunidade.


FIBR3 60 min

Essa resistência em 15,08 aí heim...
O triângulo não está perfeito, mas a resistência me parece muito nítida. Olho no lance.

MILK11 caindo 20% (15 hs)

ü  A LAEP comunica que celebrou na data de ontem Standby Equity Distribution Agreement (Contrato de Abertura de Linha de Capitalização  - "SEDA") com Yorkville Advisors, no montante de até U$50 milhões.
ü  Conforme disposto no SEDA, mediante decisão exclusiva da Companhia, o Yorkville obriga-se a subscrever, em emissão privada de ações, o valor de ate U$10 milhões, por um preço de 97% do valor de bolsa verificado nos 10 pregoes.
ü  O SEDA tem prazo de duração de 24 meses e poderá ser renovado ou estendido.
ü  Eventuais aumentos de capital realizados dentro do SEDA não ensejarão direito de preferência ao acionista controlador e demais acionistas.

ALL (ALLL3) anuncia avanço de 16,3% do Ebitda no 3º trimestre


ü  A América Latina Logística (ALL) divulgou hoje a prévia de volume e Ebitda do terceiro trimestre e dos primeiros nove meses de 2011.
ü  O  Ebitda consolidado da companhia aumentou 16,3% no terceiro trimestre deste ano, se comparado ao registrado no mesmo período de 2010, passando de R$368,8 milhões para R$428,9 milhões.
ü  Já em relação aos nove primeiros meses deste ano, o Ebitda consolidado da ALL aumentou 11,1%, de R$1,09 bilhão para R$1,21 bilhão.

Grupo Oi reagindo hoje

TNLP4 15 min


Todas as ações do grupo Oi estão se destacando positivamente hoje, com altas superiores a 5 ou 6%. No entanto, no ano a queda continua expressiva.
Pra quem já foi a principal blue chip da bolsa, heim...

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

FJTA4 (Forjas Taurus) pode dar alegrias

Pra quem tem estratégia de B&H: sugiro dar uma olhadinha nesse papel, com vistas ao LP.

FJTA4 Semanal

= > é a terceira maior fabricante de armas curtas dos Estados Unidos 


=> líder no mercado brasileiro

=> expectativa de investimentos que serão feitos no País em segurança pública (Copa do Mundo e Olimpíadas).



=> perspectivas favoráveis no segmento de capacetes para motociclistas, outro importante mercado de atuação da Companhia (expansão das vendas de moto, refletindo o aumento do emprego e da renda, notadamente das classes C e D, e da expansão do crédito). 





A pedido da Sra. Yanke





Aqui é assim: 
a gente mata a cobra
 e se alguém mais curioso pedir, 
a gente mostra o pau, 
sem probrema nenhum.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

BTOW3: barata? (atendendo ao pedido do amigo leitor noob)

BTOW3 Semanal

Eu me lembro muito bem desse papel acima de 70 reais. Cheguei até a fazer alguns trades nele à época.
Os tempos eram outros. As expectativas sobre o e-commerce eram muitas. A concorrência era pouca.
O prêmio que se pagava pela expectativa no papel era muito alto. E quem pagou, hoje não tem o que festejar: O papel perdeu 85% desde seu topo histórico.

E hoje, o papel está barato? Será que é pra comprar sem medo?

Bem, claro que a compra de determinado ativo depende de vários fatores. O sujeito que é milionário pode se dar ao luxo de comprar, por exemplo, 50k de CMIG3 e usar os dividendos pra despesas pessoais, pra torrar mesmo. É um ativo teoricamente mais seguro, mais tranquilo e defensivo.

Mas o caboclinho que tem 20 mil reais vai fazer o que com CMIG3 na carteira? Este talvez deva se arriscar um pouco em busca de um papel que pode multiplicar seu valor.

Na minha opinião, BTOW pode sim multiplicar seu valor. A Ágora tem preço-alvo pro papel em 26 reais.
O Santander vai além, estimando seu preço-alvo em 38 reais.
Confesso que os números fundamentalistas não enchem meus olhos, mesmo com a cotação nesses patamares, mas pra investir 20 mil reais, dependendo do controle de risco de cada um e de acordo com o que representa este montante na carteira de ações, eu compraria QUASE sem medo.


PS: BTOW3 entre os destaques de alta do pregão de hoje ( +4,5%)

Fechamento da semana: grande pressão compradora?

Ibov semanal


Depois de muitas quedas, esta semana encerra com uma grande alta, superior a 7%. O volume semanal realmente não foi bom, reflexo talvez do feriado de 4ª feira. Mas independente de volume, fato é que o Ibovespa fechou em alta em todos os pregões da semana, a despeito da tendência de baixa dominante no mercado.

No semanal, suporte em 47,8k e resistência em 58,6k pontos.


quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Ibov: mais um dia de alívio = > 54,6k +1,4%

Ibov diário

Enquanto o Dow Jones fechou em queda, o Ibov subiu 1,4% hoje, com volume acima da média (talvez pra compensar o descanso de ontem).


=================================== 

Eu que vinha reforçando minha posição em JBS, hoje fiquei na mão. Caiu um recurso na minha conta e eu queria comprar mais umas JBSS3 a 3,50. Só que eu "se" dei mal: a danada já ultrapassou os 4,10.

JBSS3 Diario

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Eike comprando ações da OGX

OGXP3 60 min

Resistências em 12,35 e 12,82.



Eike amplia participação na sua petroleira OGX
ü  Eike Batista realizou uma operação no mercado financeiro pela qual ampliou sua participação na empresa de petróleo OGX, da qual já é controlador.
ü  De acordo com comunicado, Eike, por meio da Centennial Asset Mining Fund, da qual é o único acionista, contratou notas estruturadas que poderão aumentar sua fatia na petroleira dos atuais 61% para cerca de 62,5%
ü  "O Presidente do Conselho de Administração e Diretor Presidente, Sr. Eike Batista, por meio de sua controlada, Centennial Asset Mining Fund, LLC, promoveu a contratação de notas estruturadas vinculadas ao desempenho de 46.812.700 ações ordinárias de emissão da Companhia representando uma exposição financeira sobre 1,45% do capital social da OGX", informou a OGX
ü  Eike Batista teria optado pelo aumento de capital por acreditar que as ações da empresa estão baratas frente ao potencial da empresa
ü  A OGX começará a produzir petróleo entre novembro e dezembro no Brasil e prevê uma média de produção de 33 a 40 mil barris diários em 2012.
ü  A meta da empresa de Eike Batista é que a produção aumente para 165 mil barris diários em 2013; 730 mil barris em 2015; e 1,38 milhão em 2019.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Semana começa eufórica

 Ibov semanal

Como se pode ver no gráfico, 51 k pontos é exatamente o meio do caminho entre a mínima do pânico de 2008 e a máxima da euforia de 2009/2010. Parece que o Ibov está respeitando este patamar de preços, ou seja, em 51k pontos os compradores superam (pelo menos por enquanto) os pessimistas vendedores.





Volatilidade

A tônica dos pregões tem sido a volatilidade. Um dia vários papéis caem 5 ou 6%, para no outro dia subir 8 ou 9%. Porém, até mesmo pela tendência de baixa que está mais que consolidada no Ibov, os dias de queda tem superado os de alta.

Com isso há muitos papeis com quedas superiores a 50 ou 40% no ano. Oportunidade de compra ou hora de vender tudo?

Na tabela ao lado comparamos o desempenho muito positivo dos papeis hoje (exceção fica só para HYPE3) com a queda acumulada no ano.


Então compra!

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

BOMBA!!! Corretora Gradual contribui para a perda de credibilidade do investimento em bolsa no Brasil



DESCALABRO TOTAL!

ÓRGÃOS DE DEFESA DO CONSUMIDOR. ATENÇÃO:

A empresa Gradual, que se diz uma corretora de valores, ofereceu há uns meses atrás um plano para seus clientes chamado Gradual Direct, cobrando 10,00 por mês independente do número de ordens emitidas.

Muitos, como eu, abriram conta lá para poder operar com este custo extremamente baixo. Aos trancos e barrancos, tolerando a porcaria do HB instável deles, a gente ia operando, aguentando calado, pois certas operações ficam inviabilizadas justamente em função dos custos de corretagem, o que não era o caso da Gradual.

Eis que o pessoal da Gradual resolveu "oferecer" uma melhoria no plano.
Os babacas dos clientes passarão a ter um outro HB em troca de pagar 10,00 reais por ordem a partir da 5ª ordem no mês.

Liguei para lá, obviamente, para abrir mão deste novo plano PREMIUM, ao que o funcionário me respondeu que não posso. SOU OBRIGADO A ACEITAR O NOVO PLANO, ONDE PAGAREI 10,00 POR ORDEM, após as 5 ordens grátis.

Ligando para a ouvidoria da Gradual, fui atendido pelo mesmo funcionário. Ou seja, é PALHAÇADA. ISSO NÃO É UMA CORRETORA SÉRIA.

A CVM e a própria Bovespa tem que intervir, pois são atitudes como essas dessa corretorazinha, que atrapalham o mercado de capitais brasileiro.

É aquela velha história. Os espertos fazem suas espertezas pra cima dos outros. Se ninguém reclamar, beleza! Se reclamar, a gente vê o que faz. Ou seja, se colar, colou!
Clientes Gradual, uni-vos! Não deixem que essa empresa trate você como se fosse palhaço. Operar é coisa séria. Desenvolver um setup é demorado e leva em conta vários fatores, como por exemplo custo de corretagem, dentre outros.

PROCON neles. O consumidor não é babaca!!!


Matérias sobre o Gradual Direct quando de seu lançamento:
http://www.brasileconomico.com.br/noticias/gradual-lanca-homebroker-com-taxa-zero-de-corretagem_99293.html

http://exame.abril.com.br/mercados/video/portfolio/a-estrategia-da-gradual-para-taxa-zero-de-corretagem

Chamado de "Gradual Direct", o sistema gratuito de compra e venda de ações pela internet representa o marco inicial de uma estratégia agressiva da corretora, 13ª no ranking de volume no segmento Bovespa.
Fruto de investimentos de R$ 17 milhões em desenvolvimento e infraestrutura
realizados ao longo do ano passado, a nova plataforma dispõe de um software próprio criado pela tecnologia da Gradual. O resultado é uma interface interativa para o usuário personalizá-la com as ferramentas desejadas.
A ideia consiste em atrair pessoas físicas com a taxa zero de corretagem e, a partir daí, COBRAR 10,00 REAIS POR ORDEM





================================================

Homebroker: Gradual desiste de corretagem gratuita


Rafael Palmeiras   (rpalmeiras@brasileconomico.com.br)
07/10/11 18:50

Após investir R$ 17 milhões em tecnologia e lançar homebroker com taxa zero, Gradual recua e oferece novo sistema com custo de R$ 10 por ordem
Após investir R$ 17 milhões em tecnologia e lançar homebroker com taxa zero, Gradual recua e oferece novo sistema com custo de R$ 10 por ordem
Após cerca de nove meses do anúncio do sistema gratuito de compra e venda de ações pela internet, a corretora agora aposta em nova plataforma com taxa de corretagem a R$ 10 por ordem.
Segundo Evandro Campos, superintendente comercial da Gradual Corretora, o lançamento do novo sistema pago é resultado de um pedido dos usuários por mais acessórios na plataforma de compra e venda de ações pela internet.
"Para as operações de curto prazo os investidores necessitavam de alavancagem. E estávamos percebendo uma forte demanda por esse tipo de serviço", explicou ao Brasil Econômico.
Além de uma ferramenta em que o investidor pode alavancar suas operações, o homebroker dará acesso a alertas de cotação, janela de proventos (distribuição de lucros das empresas), livro de ofertas realizadas ao longo do pregão, análises e relatórios.
O serviço estará disponível na próxima segunda-feira (10/10).
Com o novo produto, a corretora encerra as duas ofertas de homebroker que vinham sendo vendidas.
"Antes era ofertado o homebroker gratuito e o com taxa de R$ 20 a ordem. Com o Gradual Premium unimos os dois em um produto mais robusto."
A Gradual informa que os usuários do sistema com taxa zero de corretagem, chamado de "Gradual Direct" - fruto de investimentos de R$ 17 milhões em desenvolvimento e infraestrutura realizados ao longo do ano passado -, receberão um incentivo para migrar para a versão Premium.
"Serão ofertadas cinco ordens gratuitas para estes usuários", destaca Campos, que estima uma média de quatro ordens diárias realizadas pelos clientes.
Quando fora lançado em março deste ano, o homebroker gratuito da Gradual acirrou a concorrência das corretoras pelas pessoas físicas interessadas em ingressar no mercado de ações.
À época, o plano era atrair clientes por meio da taxa zero para, posteriormente, oferecer um leque de produtos e serviços de acordo com o interesse do usuário.

Novo horário de negociação na Bolsa

Com horário de verão, BM&FBovespa abre mais tarde a partir do dia 17

ü  Por conta do início do horário de verão, no dia 16 de outubro, o funcionamento da BMFBovespa será alterado a partir do dia 17 deste mês.
ü  Segundo comunicado da bolsa, o segmento acionário terá negociação contínua das 11 horas às 18 horas, com leilão de pré-abertura das 10h45 às 11h e "after-market" das 18h30 às 19h30 (os primeiros 15 minutos serão de pré-abertura).
ü  O exercício e bloqueio no mercado de opções sobre ações será entre 11h e 17h nos dias anteriores ao vencimento.
ü  No dia do vencimento, das 11h às 12h30 haverá a negociação das séries para enceramento de posição e das 12h30 às 14h somente o exercício de posições.