segunda-feira, 30 de maio de 2011

Da série "Senhor Mercado Bipolar"

POSI3 diário

Ué! ?
Para um papel que ia virar pó, 8% de alta na sexta, mais 8% de alta hoje, não me parece um comportamento razoável do mercado, que alías já vinha vendendo desde os vinte e poucos reais sem dó nem  piedade.
S = 6,51*6,00
R = 7,36*8,12*9,92

Parabéns Ibovespa: 3º aniversário do topo histórico



Maio de 2008. "Compra! Compra! Compra! Investment Grade! Estrangeiros! Só alegria! É recorde em cima de recorde!"

Naquele mês a bolsa batia os recordes. A pontuação sempre mais alta que a anterior, o frenesí aumentando e as pessoas físicas entrando até o talo no termo. Até que no dia 29 de maio conhecemos o que seria, até hoje pelo menos, a pontuação mais alta da bolsa brasileira em todos os tempos: 73.920 pontos.

3 anos. 3 longos anos. De lá pra cá já vimos a bolsa ir do céu ao inferno, batendo nos 29 mil pontos com a crise do subprime americano, e voltar ao céu de novo, superando a casa dos 73.000 pontos, com a injeção de liquidez nos mercados internacionais.

Hoje, passados exatos 3 anos do topo histórico, a Bolsa Brasileira se encontra no patamar de 64 mil pontos. Ou seja, uma queda de 13% em 3 longos anos de investimento. Portanto, na data em que completa 3 anos, o Blog Bolsa Feliz não poderia deixar de dar os parabéns ao topo histórico do Ibovespa pelo seu aniversário.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Fechamento semanal

27 de maio de 2011
 Ibov semanal

=> No gráfico semanal continuamos em tendência de baixa
=> Fechamento acima de 64k pontos sugere algum alívio, mesmo que temporário.
=> Volume fraco.
=> O próximo suporte do Ibov em 60k pontos e depois em 57k.
=> A resistência permanece em 70k pontos.



Alguns gráficos semanais

 GGBR3 Semanal

Do último topo em 18,51 até aqui, o papel caiu menos que USIM5.

================================================================



 USIM5 semanal

Comparando com a GGBR3, vi que os números da USIM parecem estar ligeiramente melhores.
Estatísticamente, também, me parece que uma troca de uma pela outra pode dar samba.
Portanto, fiz um pequeno Long x Short com as duas. Vendi as GGBR3 da minha carteira LP e comprei USIM5.

================================================================



 OGXP3 Semanal

Ação que deu boas taxas na venda coberta na série E. Agora já vem esboçando uma reação.
Apanhou muito nas últimas 5 semanas, nada mais justo que algum repique.
No gráfico semanal continua em tendência de baixa, mas fecha a semana bem.


================================================================


 POSI3 Semanal

Essa ação que só apanha, termina a semana com um movimento bem atípico: alta de +8,55% no dia. Tendência continua de baixa, com suporte em 6,00 e resistência em 10,10 no gráfico semanal.

O movimento atípico pode ter relação com indicação de compra pelo Pactual.
Leia matéria em:

Ações da Positivo disparam 8,55%, após BTG Pactual elevar recomendação


================================================================


 JBSS3 Semanal

Outra das que só apanham termina a semana um pouco melhorzinho. Tendo paciência, o churrasco pode ser farto. Suporte em 4,98 e resistência perto dos 6,00.


================================================================


MNDL4 Semanal

R$ 4,00. Sem comentários.

terça-feira, 24 de maio de 2011

Papéis pra vender


O momento é de vender!!! Algumas dicas:

GGBR3, USIM5, CSNA3 => O setor está horrível. As expectativas são horríveis e vai ficar pra sempre assim. O aço da China está de graça. O dólar está caindo e vai cair eternamente. VENDE!

POSI3 => A empresa é horrível. Seus computadores são horrorosos. A concorrência está destruindo a Positivo. O dólar vai sangrar a empresa até ela secar, secar, secar e desaparecer. Pra sempre. VENDE!

JBSS3,  MRFG3, BEEF3 => Esse negócio de comer carne não tá com nada. A onda agora é comer alface e cenoura. A dívida da empresa no caso da JBS é absurda e ninguém lá tem a capacidade pra resolver isso. O dólar barato ferra as empresas exportadoras e como o dólar vai cair eternamente até virar pó, as próprias empresas vão virar pó! VENDE!

BANCOS =>
      a) Com esse negócio de porta giratória, as pessoas vão deixar de ir em bancos.
         b) Os gastos com o uso de tinta como dispositivo de segurança para o caso de arrombamento de caixas eletrônicos está gastando muito dinheiro e prejudicando o lucro dos bancos.
            c) O Governo brasileiro vai olhar mais pro povo e menos pros banqueiros.
VENDE!



Quando chegar a hora de comprar eu aviso aqui. Será com a Bolsa superando os 80 mil pontos e quando a confiança dos investidores estiver em alta. Aí é só alegria, rumo aos 200 mil pontos. Mas por enquanto, VENDE!!!

PS: Não vende tudo não. Vende só a metade. Se a Bolsa for nos 30 mil pontos, vende o resto. Depois começa a recomprar devagarinho quando fizer um pivô de alta no gráfico anual, na superação em candle fechado de 74 mil pontos. Quando for comprar, não precisa diversificar nem entrar aos poucos. O negócio é concentrar tudo em 1 ou 2 papéis e entrar na bolsa de uma vez só. É assim que o caboclo fica rico (se acertar).

Em dia de baixo volume, Ibov confirma expectativa positiva

Ibov diário

Hoje o Ibov confirmou o martelo deixado ontem no gráfico diário, retornando aos 63 mil pontos. A tendência de baixa permanece, de modo que a média móvel de 21 períodos em 64.140 pontos e, vencida esta, a próxima resistência de preços em 65.143 pontos, devem ser os pontos críticos a serem testados antes da continuação das quedas ou de uma pretensa (e pouco provavel no momento) virada do mercado.

E para quem gosta de investigações

HBTS5 Diário

Empresa deve ser do Oliveira, amigo nosso que anda meio sumido do mercado.

Alguém lembra do foguete Kepler


Quem já acompanhava o mercado há uns 3 ou 4 anos deve lembrar do tal foguete pronto para decolar. Sempre tinha um sujeito lembrando sobre a última chamada
"Vai bombar", "Quem não comprar agora, só compra nos 3 reais", "Última chamada para embarcar no foguete", eram algumas das frases vistas mais de 10 vezes ao dia nos fóruns de mercado. Hoje não se ouve mais falar do papel. O Blog Bolsa Feliz foi procurar para mostrar aos amigos a quantas anda o tal foguete. 



KEPL3 SEMANAL

KEPL3 realmente ixprudiu há uns meses, lambendo os 75 centavos.
Em seguida, parece que o combustível do tal foguete foi diminuindo e o papel caiu rumo aos trinta e poucos centavos, se segurando por ali por cerca de 1 ano. Hoje, perdido o suporte dos 0,34*0,30 , o papel está em tendência de baixa rumo ao seu próximo suporte em 13 centavos.

Oi - Reorganização societária

TNLP4 Diário

Na esteira de notícias sobre processo de reorganização societária para simplificar essa "salada de letrinhas" que hoje é o grupo Oi, as ações do grupo operam acima dos 10% de alta no dia.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Voltando do fim de semana: situação do Ibovespa

Ibov diário

Depois de perder um suporte importante em 63,800 e posteriormente fazer novo pivô de baixa com a perda de 62,972 pontos, o Ibov, que permanece em clara tendência de queda, em algum momento deve fazer movimento corretivo, vulgo "repique". A movimentação de hoje, que deixou um martelo no gráfico diário, pode sugerir algum repique. Porém, como esse martelo ocorreu afastado dos próximos suportes e numa posição relativa às Bandas de Bollinger, não temos argumentos mais fortes para acreditar num repique mais vigoroso. Ou seja, pode ocorrer, pode não ocorrer, ou muito pelo contrário.

Suportes: 60k * 57.876 pontos.

PS: VALE5, papel de maior peso no índice, fechou na máxima e virou positivo no after.

Então compra!!!

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Testando a Corretora Gradual

Com a guerra de preços das corretoras, a Gradual saiu na frente e cobra apenas R$10 por mês pelo pacote Direct, que inclui custódia e ordens ilimitadas na Bovespa.

Testando a corretora há 3 semanas, tendo a devida condescendência tanto pelo baixo preço cobrado, quanto por uma suposta explosão de nº de clientes sem que a corretora tivesse tempo para se adaptar, a conclusão é uma só: DEZ REAIS NÃO É BARATO.

 * O serviço, para quem faz DT ou mesmo para quem faz lançamento coberto, não atende. A custódia não atualizou corretamente no período testado.

* Os funcionários, na maioria das vezes em que precisei ligar, são lentos e em alguns casos muito mal preparados. A impressão que tive em duas ligações foi de estar conversando sobre Bolsa de Valores com algum atendente de um açougue ou de loja de tintas, por exemplo, tamanho o despreparo e até desconhecimento de termos simples sobre lançamento de opções.

 Em termos de lentidão?  Faça o teste: liga pra lá e fala que quer vender uma opção. Se repetirem o procedimento que tiveram comigo, você vai ouvir "Um minuto por favor", depois de uns 2 ou 3 minutos vão te atender e depois ainda vão te transferir para a mesa. Sem condições, não é mesmo?

* O home broker tem uma funcionalidade interessante, chamada de Trader Box. Você adiciona os papéis que está operando e, clicando em um deles, o sistema mostra o livro de ofertas, a negociação e já preenche a boleta de compra ou venda simultaneamente. No entanto, se quiser alterar a oferta, o programa se enrola: às vezes precisa deletar os números, às vezes tem que digitar por cima, é uma confusão. É um negócio tão esquisito, que até para explicar é difícil. Isso atrasa demais a negociação e, se o sujeito estiver fazendo DT e tiver dependendo de praticidade, pode esperar o ferro.

* Ainda falando sobre home broker, a lentidão do sistema impressiona. A Ágora, a Link, até a TOV (por incrível que pareça) parecem ser de 1º mundo comparando a velocidade delas à velocidade do HB da Gradual. Você clica em enviar a ordem e aguarda seguramente uns 5 ou mais segundos para que a ordem apareça no book. Acompanhando por uma plataforma profissional e comparando as corretoras citadas, a diferença é gritante. A Gradual precisa melhorar muito para ficar ruim. Hoje eu diria que nesse aspecto ela é péssima. Nessas 3 semanas de testes, o sistema só travou mesmo 1 vez. Mas travou.

* Para finalizar, não tem margem nem alavancagem. Ou seja, quem é trader profissional fica impossibilitado de operar na Gradual nesse pacote Direct. E quem é investidor e observar uma oportunidade de mercado para uma compra, independente do tamanho de sua carteira na corretora não vai contar com nenhuma margem para comprar e depois disso providenciar a transferência de recurso para a corretora.

Conclusão: A Gradual se mostra competitiva (campeã) em termos de custos para aquele cliente que não opera sempre e não precisa de um sistema veloz e de atualização tempestiva. No entanto, para traders ou para o investidor mais ativo ou lançador coberto, a Gradual não é, atualmente, uma corretora que atenda. Para estes, os dez reais do plano Direct pode custar bem mais caro no final das contas.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Banco do Brasil - BBAS3

BBAS3 Diario

O papel vem testando ao longo de todo o ano de 2011 essa faixa dos 27,36. São 5 toques, o que torna este um suporte muito importante. A perda do mesmo pode desencadear vendas mais pesadas no ativo, com suportes em 26,35 (próximo suporte) e em 23,50.

Olho no lance!

Rossi Residencial - RSID3

RSID3 Semanal

Outro papel que performou mal hoje foi RSID3, com perdas superiores a 6%, sendo o papel do índice que fechou com a maior queda.

No gráfico semanal:
=> Resistências em 15,03 e 18,10.
=> Suportes em 11,90 e 10,42.

Se o papel se aproximar do suporte em 11,90, provavelmente vai ter gente enxergando um possível O-C-O prontinho pra impulsionar o papel rumo ao seu 1º objetivo próximo aos 8 reais.

Outros papeis do setor de construção também levaram ferro hoje, a saber:

PDG PDGR3, -4,62% R$ 9,09
Cyrela CYRE3, -4,53% R$ 15,38
Gafisa GFSA3, -3,23%, R$ 8,40
Brookfield BISA3, -2,96% R$ 8,20 
MRV MRVE3, -2,94% R$ 14,22

Fechamento: o que ganhou ontem, perdeu hoje

 Ibov diário

O que o índice ganhou ontem, devolveu hoje, fechando na casa dos 62 mil pontos novamente. A tendência é de baixa mesmo.


 JBSS3 semanal

Destaque negativo do Ibov, JBSS fechou com baixa de mais de 5% após anuncio de que a companhia aumentará seu capital social em R$ 3,47 bilhões mediante a emissão privada de até 494.261.363 novas ações ordinárias, ao preço de R$ 7,04 por ação. 


Durante teleconferência, Wesley Batista, presidente da JBS, reafirmou a importância da operação. Para Batista, o aumento de capital utilizando os créditos das debêntures elimina a incerteza de uma abertura de capital da JBS USA Holdings, algo que vinha pressionando as ações na bolsa. Além disso, essa operação permite uma reestruturação de capital, o que é muito positivo no momento, segundo o executivo (Infomoney).


Suportes em 4,98 e 4,06.


POSI3 Semanal

Outra ação bastante penalizada é Positivo Informática, que hoje também entregou tudo e mais um pouco, visitando cotações não vistas há 2 anos. Suportes em 4,67 e 3,11.

terça-feira, 17 de maio de 2011

LIGT3 na ponta negativa: fato raro

LIGT3 semanal

Hoje a LIGT3 fechou com queda de mais de 3%, coisa que raramente acontece com as ações dessa empresa. No gráfico semanal pode ser que o papel esteja formando um topo.

Última vez que a LIGT3 se destacou negativamente em um pregão:

Ações da Light têm segunda maior queda do Ibovespa após apagões no RJ

Era novembro de 2009, o papel custava uns 19 reais em valores ajustados e quem comprou naquela época se deu bem.


Recomendações
=> Citi recomenda a venda, com um preço-alvo de R$ 29,00 – valorização potencial positiva de 4,13% em relação ao fechamento. (Manda vender, mas acredita que o papel vai valorizar? Só tem doido nesse mercado mesmo, hehe)
=> Credit Suisse acredita em desvalorização de 6,64% até R$ 26,00.
=> UBS está mais confiante: acredita em uma valorização de 11,31% até R$ 31,00, mas sua recomendação para a ação é neutra.
=> Ágora recomenda a compra, prevendo um upside de 18,28% para as ações da companhia, cujo preço-alvo para final do ano é R$ 32,94.
=> O Chapuleta já recomendou muito esta ação, mas nesses preços prefere deixar que cada um faça com seu dinheiro o que quiser, ressaltando que nos R$22,19 ele fica alerta e nos R$17,10 ele compra sem medo.

Fechamento dos mercados 17/05/2011

 Ibov diário

Após fechar abaixo do suporte em 62.972 pontos ontem, hoje o indice teve um desempenho positivo: alta de 1,34%. Resistência forte pela frente em 65.143 e as médias móveis continuarão pesando o índice, até que ele  tome tendência na vida e faça logo um pivozinho de alta.

Para evitar euforia demasiada, devemos lembrar que pelo peso de OGX no índice, grande parte da alta de hoje do Ibov se deve justamente ao desempenho das ações da petrolífera do Eike.


OGXP3 Diário

O volume não foi lá essas coisas comparado a ontem (vencimento de opção), mas a alta foi escandalosa: quase 9%, se considerarmos o último negócio do after market. A tendência do papel, a despeito de todo o rebuliço de hoje, é de baixa. Resistência em 15,92 e suporte em 13,23.


Aproveitando o ensejo, vamos falar sobre o resultado da OGX referente ao 1T11

=> Posição de caixa no montante de R$ 4,1 bi (USD 2,5 bi)
=> Despesas em linha com o esperado para o período
=> Rendimentos financeiros de aproximadamente 103,8% do CDI
=> Receita financeira do 1T11 foi de R$ 130,6 mm, gerando um resultado líquido de R$ 17,9 mm
=> Despesas administrativas foram de R$ 43,4 mm e apresentaram uma redução
=> Campanha de perfuração foi intensificada neste 1T11.

=>=> Expectativa positiva diante do início da produção ainda em 2011 e do potencial de novas descobertas na campanha exploratória da empresa, segundo a Link.

Ainda:
- Hoje teve duas instituições indicando o  papel.
- Há pouco tempo atrás tinha muita gente termada no papel.
- Depois do report da D&M a força vendedora apareceu com força. 

segunda-feira, 16 de maio de 2011

USIM3 - Parece que os compradores finalmente se esconderam

USIM3 Diário

O que se viu em USIM3 nesses primeiros meses do ano foi algo atípico. A bolsa fraca, o setor siderúrgico fraco, a outra ação da empresa (USIM5) fraquíssima, mas a ação ON da Usiminas explodindo. Durante vários pregões o leilão de fechamento do papel tinha comprador de 50k a mercado, coisa nunca vista antes nesse papel, que sempre teve pouca liquidez em relação as ações PNA da empresa. Teve dias da ação fechar com mais de 10% de alta. Inacreditável (principalmente pra vendido, hehe).

Já na semana passada parece que a coisa começou a mudar de figura. O volume caiu drasticamente e o papel ficou patinando ali em torno dos 23 reais. Se os compradores não reaparecerem, o papel tem tudo para ceder um pouco mais forte nas próximas semanas.

A confirmar a perda do suporte em 22,86, próximos suportes em 21,14 e 20,34. Resistências em 23,55 e 26,50.

PS: Só relembrando: as USIM5 já operam abaixo de 15 reais. Uma diferença de 35% em relação as USIM3.

Leia mais: Preço-alvo para USIMINAS

domingo, 15 de maio de 2011

Relembrar é viver

Já comprou opção e viu ela virar pó? Gostaria de ter uma opção de 1 real e pouco que não tenha prazo pra vencer e dificilmente vire pó?

Seus problemas acabaram!!!!
Ao preço de uma VALEJ36 você pode comprar uma ação por 40% do seu VPA e esperar o dia dela bombar:
Mundial S.A. ou carinhosamente chamada por nós de MNDL4
7 marcas /2.100 funcionários /mais de 7.000 produtos em linha / mais de 15 mil clientes ativos / exportação para mais de 90 países.

Nessa eu só quero é se dar bem.




Relembre o post original, de terça-feira, 29 de setembro de 2009, clicando aqui.

Os comentários são um show à parte.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Fechamento do mercado

Ibov diário

Dando continuidade ao seu óbvio movimento de baixa, hoje o Ibov caiu mais 1,2%, mas respeitou o suporte em 63k pontos.



POSI3 diário

Positivo é que foi uma surpresa negativa do dia. O papel caiu 7%, devolvendo quase toda a alta do repique desde os 6,50. O volume assustou também.


OGXP3 Diário

Papel começou o dia entragando o ouro pro bandido, mas se recuperou durante o dia, transformando uma baixa de mais de 4% em uma alta de quase 2%.
O martelo é de livro. Se vai confirmar e reverter a atual trajetória baixista, já são outros quinhentos.

Para ver a situação no gráfico semanal, clique aqui.

Bom final de semana a todos.

Empresas que mesmo sem ser metalúrgicas, distribuíram ferro aos seus acionistas em 2011



OGX Petróleo
Em primeiro lugar na lista aparecem as ações ordinárias da empresa de petróleo do bilionário Eike Batista, OGX Petróleo (OGXP3), com queda de 28,95% no ano.
Bastante afetados pelo relatório de estimativas das reservas, elaborado pela consultoria DeGolyer & MacNaughton e divulgado no dia 15 de abril, os papéis chegaram a cair mais de 17% no dia posterior à divulgação.
“A quantidade de petróleo que podia ser explorado era menor do que o mercado esperava. Sem dúvida, os papéis foram muito pressionados por conta disso”, afirma o analista-chefe da corretora SLW, Pedro Galdi.
O estrategista da Futura Investimentos, Adriano Moreno, concorda. “A notícia foi mal recebida pelo mercado. Além disso, as ações da OGX são muito visadas por investidores estrangeiros, e com essa fuga de capital externo da Bolsa, elas têm sofrido bastante”, diz o estrategista.
Para Galdi, a empresa ainda carrega consigo muitas incertezas. “A empresa tem que investir em plataforma, em navio. Tem muito investimento a fazer, mas enquanto não começar a produzir petróleo, ainda terão muitas dúvidas”, diz Galdi.
Hypermarcas
As ações ordinárias da empresa de varejo Hypermarcas (HYPE3), dona de marcas como Assolan, Doril e Pom Pom, amargam queda de 28,31% no ano.
De acordo com o estrategista da Futura Investimentos, os papéis da companhia foram penalizados no início do ano com a compra do laboratório brasileiro Mantecorp. “O mercado entendeu que o preço não foi barato. Além disso, o acordo de venda envolvia pagamento em ações e houve receio que a família que controlava Mantecorp iria se desfazer dessas ações, o que poderia ocasionar uma queda dos papéis”, explica Moreno.
Outro ponto que costuma pesar no desempenho desses papéis é a divulgação do balanço. “A empresa não conseguiu entregar crescimento de receita líquida no primeiro trimestre, o que assustou bastante o mercado”, diz Moreno.
A opinião é compartilhada pelo analista Cauê Pinheiro, da SLW. "O desempenho abaixo do esperado no primeiro trimestre frustou o mercado. Mas acredito que isso seja pontual e que, nos próximos trimestresm as ações devem mostrar um desempenho melhor", diz.
Gafisa
As ações ordinárias da Gafisa (GFSA3) registraram queda de 26,31% este ano, também pressionadas, segundo o analista da corretora Socopa, Osmar Camilo, pela fuga de capital estrangeiro.
“As construtoras possuem um grande volume de capital estrangeiro e têm sofrido com a saída deles”, diz. Além disso, de acordo com Camilo, a empresa não cumpriu com o guidance este ano, o que também prejudicou o desempenho de seus papéis.
Gerdau
Os papéis preferenciais da siderúrgica Gerdau (GGBR4) registram queda de 26,13% no acumulado do ano. Segundo o analista do BB Investimentos, Victor Penna, as ações das empresas de siderurgia estão sendo afetadas por conta da oferta global de aço.
“A produção mundial de aço está bastante alta. Existe um excesso de oferta, do Brasil, Índia e Austrália. Então, apesar da demanda estar aquecida, o excesso de oferta, aliado ao preço mais alto do minério de ferro, tem pressionado as margens das empresas do setor”, afirma Penna.
Além disso, Penna ressalta que a concorrência com o preço do aço importado tem sido outro problema, por conta da desvalorização do dólar.
Por fim, ele aponta que o follow-on (quando a empresa já tem capital aberto e coloca mais ações no mercado) da Gerdau este ano gerou especulações sobre o destino dos recursos captados. “A Gerdau informa que o dinheiro será direcionado para os planos de investimento, mas o mercado tem especulado que poderia haver uma aquisição da Usiminas”, diz Penna.
Brasil Ecodiesel
As ações ordinárias da Brasil Ecodiesel (ECOD3) constam na lista dos 13 papéis que mais se desvalorizaram no acumulado de 2011, com queda de 26%.
De acordo com o analista da Planner Corretora, Henrique Ribas, os papéis da empresa foram penalizados nos últimos dias por conta das notícias em relação ao processo de fusão com a produtora de soja Vanguarda, rejeitada na quinta-feira (11) pelo conselho administrativo.
Antes disso, outros fatores influenciaram no desempenho negativo dos papéis, como a profunda reestruturação nas atividades da empresa do ano passado pra cá. “Ela deixou de ser uma companhia focada exclusivamente em energia para também se dedicar aos alimentos, com a incorporação da Maeda Agroindustrial”, diz o analista.
Em relação às expectativas para o papel, Ribas é cauteloso. “É essencial ter mais clareza em relação à fusão com a Vanguarda. Este pode ser o gatilho para o desempenho dos papéis, mas as ações perdem atratividade à medida que não temos definição do modelo de negócios dessa fusão”, ressalta.
B2W
Os papéis ordinários da B2W (BTOW3), empresa que controla sites de comércio eletrônico como Submarino e Americanas.com, também sofreram este ano e já acumulam queda de 24,24%.
De acordo com o analista da SLW, Cauê Pinheiro, a empresa está sofrendo com a concorrência de grandes empresas de varejo que entraram há pouco tempo no comércio eletrônico, com o Ponto Frio e as Casas Bahia.
“Essas empresas têm ganhado mercado por conta da forte bandeira e com isso a B2W tem crescido abaixo da média do mercado e está perdendo market share, o que afeta a sua margem e a lucratividade”, diz o analista.
Cyrela
As ações ordinárias da construtora Cyrela (CYRE3) já perderam quase um quarto de seu valor este ano (24,08%). Segundo Adriano Moreno, da Futura Investimentos, a queda tem sido provocada pelo aumento significativo dos custos e a revisão para baixo do guidance (projeções) para este ano.
“A empresa sempre entregou até mais do que prometia e este ano ficou abaixo. Fora isso, a fuga de capital estrangeiro também está prejudicando o papel”, afirma Moreno.
Metalúrgica Gerdau
As ações preferenciais da Metalúrgica Gerdau (GOAU4) já perderam 23,32% este ano. De acordo com Victor Penna, do BB Investimentos, na siderúrgica, a Metalúrgica Gerdau tem sofrido com o excesso de oferta de aço e também com a forte concorrência do aço importado, devido à desvalorização do dólar.
“Fora isso, também tem a questão da oferta de ações, que também afetou o desempenho dos papéis da metalúrgica”, afirma Penna.
MMX
No acumulado do ano, as ações ordinárias da MMX Mineradora (MMXM3), também pertencente ao grupo EBX, de Eike Batista, já acumulam queda de quase 22% (21,91%). Para o analista da SLW, Pedro Galdi, as ações também sofrem com o “efeito OGX”. “Existe um certo receio do mercado de que a companhia também poderia estar prometendo um volume de matéria-prima acima do que ela realmente pode ter”, afirma Galdi.
Ainda de acordo com o analista, a empresa produz muito pouco minério de ferro se comparada com a Vale, por exemplo. “Se analisarmos, a MMX produz 7 milhões de toneladas por ano, enquanto a vale vende 300 milhões de toneladas”, afirma o analista.
JBS
As ações ordinárias da JBS (JBSS3) registram perdas de 21,34% ao longo deste ano. De acordo com o analista da Futura Investimentos, Alan Oliveira, a razão principal para o baixo desempenho dos papéis são as dívidas da companhia. "A empresa possui dívidas muito altas e precisa de capital externo para pagar essa dívida", ressalta o analista.
Além disso, a empresa também tem sofrido com a desvalorização cambial, na opinião de Oliveira. "Por ser o maior frigorífico do País, ela exporta bastante e, com a queda do dólar, acabou sendo prejudicada", aponta.
Usiminas
As ações preferenciais da Usiminas (USIM5) registram uma queda de 20,77% no ano, também influenciadas, segundo o analista do BB Investimentos, pelo custo de matéria-prima e a concorrência com o aço importado por conta da desvalorização do câmbio.
Outro fator que tem pesado nas ações preferenciais da siderúrgica, segundo Penna, é a possível aquisição da companhia pela Gerdau. “Como a Usiminas tem em seu estatuto um tag along de 80% apenas para as ações ordinárias, os papéis preferenciais acabam sendo menos visados”, afirma Penna..
Com o tag along, em caso de mudança no controle acionário da empresa, a companhia que está comprando a parte pertencente ao bloco controlador é obrigada a fazer uma oferta pública de aquisição das ações ordinárias pertencente aos minoritários de, no mínimo, 80% do valor pago pela aquisição das ações do grupo controlador.
Com isso, enquanto os papéis preferenciais já caíram mais de 20% em 2011, as ações ordinárias (USIM3) acumulam alta de 8,65% no período.

Fonte: Infomoney

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Eletrobrás, Eletropaulo e Transmissão Paulista

Saiu no Valor...


Execução da causa bilionária vencida pela Eletrobras em torno da dívida da antiga Cesp à empresa foi reiniciada há duas semanas na Justiça do Rio de Janeiro
=> Empresa entrou com um novo pedido de perícia para determinar quem deve pagar mais de R$ 1 bi: AES Eletropaulo ou Cteep
=> Caso certamente vai afetar os balanços da Eletropaulo e/ou Cteep quando as companhias fizerem provisão para o valor da causa
=> Segundo o vice-presidente jurídico da AES Eletropaulo, Pedro Bueno:
 Processo ainda levará longo tempo a ser resolvido pois está ainda em primeira instância.

Quem tem ações destas empresas, não custa se antenar!!!

Forjas Taurus


Link: Forjas Taurus fechou acordo com minoritários para promover reestruturação societária
=> Prevê a incorporação da dívida financeira de R$ 165 mm da holding
=> Controlador, Luis Fernando Costa Estima, vai transferir aos demais sócios mais da metade de suas ações ordinárias e deixará a presidência-executiva
=> Empresa vai aderir ao Nível 2 da BM&FBovespa
=> Empresa adotará medidas adicionais de governança corporativa


JBS Friboi

JBSS3 Semanal


Ação sendo negociada abaixo do VPA, apresentou resultado com lucro de quase 6 centavos por ação. É cedo pra falar, mas pode caminhar para um fundinho no gráfico semanal.



Divulgação de resultado hoje
=> Os números mostraram avanço de 47,9% no lucro líquido, na comparação entre o primeiro trimestre de 2010 e de 2011, para R$ 147 milhões, 
=> principais linhas do balanço superando as expectativas de analistas.
=> atingiram a máxima de R$ 5,93 após divulgação dos numeros.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

EZTC3

EZTC3 Diario

Após romper a resistência em 15,40 há alguns dias, o papel fez um pullback na resistência rompida e já rompeu novo pivozinho de alta novamente. Hoje começou o pregão confirmando o rompimento.
O que dizer do papel? Segue em tendência de alta, com médias ascendentes e trabalhando acima das mesmas. Mesmo com mercado estranho.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Uma semana agitada

 Ibov diário

Ontem o Índice perdeu os 64k pontos, deixando um candle de indecisão. Os níveis sobrevendidos permitiram uma recuperação no dia de hoje, gerando até uma certa expectativa positiva para a semana que vem. Mas como gato escaldado tem medo de água fria e o mercado anda meio esquisito, os mais desesperados e afoitos não devem permanecer comprados, se o prazo da operação for excessivamente curto.


Destaques da semana

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Não teve jeito: perdeu os 64k pontos

 Ibov diário

O Ibov perdeu os 64k pontos hoje. Engraçado é que já tem gente dizendo que estamos vivendo o fim do mundo.
Façam as contas: do topo em 73 mil pra hoje, a queda foi mísera. Apenas 12 ou 13%.
Isso é oscilação normal de mercado.

Na verdade, se considerarmos os últimos 12 meses, quem está comprado no índice tem mais é que levantar as mãos pro céu. Observem as quedas de alguns papéis:

USIM5: 45% de ferro em 12 meses.


POSI3: 64% de naba em 12 meses.


JBSS3: 38% de drama em 12 meses.


VALE5: só 2% de queda no mesmo período.


MILK11: 85% de dor.


O Ibov não caiu nada no período.

Ibov semanal


Pode até ser que o fim do mundo esteja próximo. Vai saber, né?
Mas não é essa quedinha de 12% do Ibov no ano que definiria o apocalipse. O Ibov poderia cair uns 30% que chegaria nos 45 mil pontos.
E se alguém que estivesse fora da Bolsa resolvesse entrar neste patamar, poderia ver a Bolsa cair para 30 mil pontos. Estaria perdendo, SE REALIZASSE o prejuízo, 33%.

***

Supondo que as novidadeiras do apocalipse estejam certas e enfrentemos um longo período de quedas, vc teria dinheiro pra entrar comprando lá nos 45 mil, nos 40 mil, nos 35 mil e nos 30 mil pontos?


A propósito, PETR4 a 16,00, USIM5 a 10,00, VALE5 a 22,00, LIGT3 a 18,00, ELPL4 a 25,00, GGBR4 a 10,00 etc só não compra quem é muito trouxa. Se os preços chegarem lá e vc estiver sem grana, vc fará parte deste time.

MILK11 muda de ramo


Sai de cena os laticínios, entra o nabo (principalmente nos seus acionistas).

terça-feira, 3 de maio de 2011

Suporte agora só em 64k

Ibov diario

Resumão do dia:

USIM5 continua perdendo 3 ou 4% todo dia.
USIM3 continua se segurando como pode nos vinte e tantos reais.
EMBR3 ixprudiu.
OGXP3 já tá abaixo de 16 reais de novo.
JBSS3 já opera nos 5,20.
MILK11 todo dia perde 10%. Daqui a pouco chega nos 20 centavos novamente, mesmo com o papel desdobrado?

segunda-feira, 2 de maio de 2011

O dia começou positivo, mas fechou negativo

Ibov diario

A fraqueza está dominando o mercado de capitais. O índice fechou com queda de 1%, bem em cima do suporte.
Expectativa é negativa para amanhã. Então vai subir!

Boa noite

Sem comentários

É pequeno mesmo, pra não chamar muita atenção. Esse papel ainda vai ser comentado nos fóruns. Aguardem.

Atualização da situação

Ibov diário

O índice Bovespa anda meio esquisito. Caindo sempre com mais intensidade e maior volume que nas altas. Tivemos o terceiro teste recente dos 65,4 k pontos. Sua perda deixaria o índice perigosamente perto de seu importante suporte nos 64k pontos. As resistências são 67200*68200*70k pontos.

-------------------------------

TNLP4 Diario

Depois de superar os 30 reais recentemente, o papel cedeu com vontade, talvez em função da divulgação de seus resultados abaixo do esperado pelo mercado, além de uma distribuição de dividendos muito tímida, se comparada ao histórico recente da companhia.

--------------------------------------------------

MILK11 diário

Com a divulgação do agrupamento das ações, os principais operadores do papel pulam fora. A grande atratividade da variação de centavos tende a desaparecer. Portanto, o futuro da jogatina no papel parece estar comprometido.

======================================
USIM3 Diario

O papel assistiu nos últimos 3 meses uma escalada insana de seus preços, fruto de uma estratégia duvidosa da CSN montando enorme posição do papel. Enquanto a USIM5, papel mais líquido, frequenta o submundo dos preços lá nos 16 reais, a USIM3 se mantém firme acima dos 25 reais, uma diferença nunca vista antes na história deste país.
Agora que a CSN já conseguiu os 10% de ações ON, será que este spread diminui? Tem tudo pra isso, né?
Suportes em 23,79*21,00 e resistências em 26,50*29,50.


Abçs a todos e uma ótima semana.